quinta-feira, 3 de outubro de 2013

TRAQUE ÚMIDO


Meus amigos e minha amigas, sinceramente achei que o circo já tivesse ido embora da nossa cidade, mas, depois do mico da turma do "contra" que presenciei ontem na Câmara de Vereadores acho que não, pois foi digno de fazer inveja aos melhores bufões e arlequins da história.
Bradando antes como "cavaleiros solitários da ética", ignorando a capacidade do "resto do povo" em discernir a diferença entre as intenções e as lutas pelo bem coletivo verdadeiro de tentativas desesperados e oportunistas de golpes contra a escolha livre, legítima, legal e democrática do povo. Porém, esta trupe, com máscaras mal amarradas em suas nucas viram ruir seus planos mirabolantes e sentiram tachar suas caras atônitas com a auto-incompetência que resultou num verdadeiro "bombardeio no próprio pé", pois passaram nos jornais e grupos da internet a imagem de mártires, mas na vida real não conseguiram sustentar seu circo armado.
Esperavam eles que o soberbo arranha-céu construído em base arenosa e mentirosa fosse sustentar a virtual carga pesada atribuída pelos artifícios fogueados, porém o que se viu foi que o blefe assustou-se e o traque estava úmido. Gritavam-se gigantes e apresentaram-se exíguos.
Particularmente, me senti constrangido com a confirmação do que já sabia. A turma do "gorpe" esbravejou que "faria e acontecia", mas o que todos viram foi que por mais articulados que possam ser, não há nada que impeça a verdade de emergir do lamaçal de falsas acusações.
Esperava renúncias e discursos oposicionistas de proteção de seus próprios interesses, agora totalmente claros e explícitos, mesmo que com toques de dramaticidade mexicana. 
Esperava polêmicas insustentáveis, opiniões embasadas em teorias conspiratórias. Mas..."Faiô!"
Sinceramente, eu esperava tudo isso, mas a única coisa que vi, foi que até para ser pedra tem que se saber ser. E vi também que quando não se luta de forma verdadeira pelo bem do povo, qualquer atrapalhada se transforma em lágrimas que escorrem e tiram a maquiagem da mentira, mostrando assim, a verdadeira face deles, frustrada pela própria incompetência.
Eu vi também que a verdade e a justiça sempre chegam intocadas no final e que quanto mais esbravejam, mais roucos ficam, restando-lhes um esperneio mudo e solitário quando as cortinas se fecham e seu triste espetáculo acaba.