terça-feira, 15 de outubro de 2013

QUAL É O PAPEL DA OPOSIÇÃO? - Revisada

Meus amigos e minhas amigas, como eu já disse em outras oportunidades, não há nada como a política para mostrar a obviedade das reações humanas.
Num regime democrático entende-se que o papel da oposição é imprimir de forma responsável uma visão diferente e alternativa às ações dos governantes, sempre com o objetivo claro de proporcionar melhor qualidade de vida ao povo.
Porém, infelizmente, em muitos casos, a oposição luta de forma desleal e desrespeitosa para que tudo que a situação faça dê errado e assim, naturalmente, fazer prevalecer sua posição, seus ideais e seus projetos umbilicais.
Pessoas que se dizem oposição e que lutam para que um governo eleito democraticamente não consiga realizar seus projetos. Pessoas que não apresentam propostas, que fazem armações e inventam histórias, que são contra tudo o que é feito, na verdade, são pessoas que não são oposição ao governo, eles são oposição ao povo.
Essas pessoas usam de forma leviana e egoísta a boa intenção de formadores de opinião, utilizam o povo como massa de manobra na luta pela conquista de seus objetivos pessoais e visam tomar o poder à força, desrespeitando e passando por cima da vontade da população que não os escolheu nas urnas. 
O mais absurdo é que muitas vezes essa oposição vem dos lugares menos prováveis. Gente que repetidas vezes pronunciava “estou contigo”, agora se diz oposição, pois, provavelmente, não teve suas expectativas financeiras e de poder correspondidos.
Infelizmente, esses sanguessugas desesperados são como uma praga que multiplica-se a cada novo pleito e a cada início de um novo governo e Campo Limpo Paulista não está fora dessa infestação. 
Muitos são os fatos irrelevantes que ganham "proporções desproporcionais" pelo simples fato de serem propagados e ateados à paixão de uma oposição burra, na mais profunda definição da palavra. 
Quando digo oposição, não me refiro especificamente, a ideologias ou siglas partidárias, mas, a pessoas, que muitas vezes nem fazem parte do cenário, porém, fazem muita cena, pois são atores que se contorcem e esperneiam, mostram sua revolta singular até que se contemplem suas "plurais reivindicações".
Um governo é formado por pessoas que devem ter, sinergicamente, o objetivo único de lutar pela melhor aplicação dos parcos recursos, melhor organização administrativa e pelo desenvolvimento da cidade e do país, para que assim possa garantir a melhor qualidade de vida esperada pela população quando foram eleitos.
Um governo não pode ser formado por pessoas que querem o poder para si, pois o poder é seu, é meu é do povo e é com esse poder que escolhemos nossos representantes e damos a eles a honra e o dever de defender nossa cidade de mercenários e chantagistas que apregoam a filosofia do “só estarei contigo se eu puder mamar na teta do governo”.

Para esses oposicionistas oportunistas de plantão restará apenas permanecer no ostracismo eloquente da obscuridade, pois, aí sim, estarão fazendo algum bem ao povo e à nossa cidade.